terça-feira, 9 de novembro de 2010

GERAÇÃO Y

Uma fatia considerável do mercado brasileiro tem recebido uma atenção especial por parte dos nossos empresários. Com cerca de 16 milhões de consumidores, a Geração Y instiga executivos a focarem seus esforços neste jovem público, caracterizado por trazer um novo jeito de pensar o mundo e o trabalho.
E foi buscando entender melhor quem é o consumidor da Geração Y que publicitários e executivos refletiram sobre os desafios de atender essa nova demanda na palestra“Teenagers: quantos são, quanto gastam e o que pensam”, ministrada por Jorge Kodja, diretor da TNS Research Internacional, na abertura do painel Geração Y, do HSM ExpoManagement 2010.



Raio-X
Diversos números foram apresentados, em um verdadeiro raio-x da Geração Y brasileira. O estudo, que pesquisou 1500 jovens em 11 regiões metropolitanas do país, busca entender comportamentos emergentes e gerar insights para clientes do público teen.


“Eles (jovens da Geração Y) têm muitas peculiaridades, são muito influentes e formadores de opinião dentro de casa”, destacou Kodja.


Por ano, os jovens brasileiros gastam R$ 32 bilhões, com uma média nacional de R$ 49 por semana. Esses gastos são, quase majoritariamente, com roupas, higiene e diversão. “Como 43% da Geração Y está na classe C, temos um público que busca inserção social, que quer estar bem, se sentir bem acima de qualquer coisa”, explicou o executivo, acrescentando que apenas 16% está no mercado de trabalho.

Onde encontrá-los?


Só que falar com esse público não tem sido uma tarefa fácil por parte do empresariado. “A Geração Y é um alvo móvel. O adolescente não quer ser rotulado em nada. Quando um rótulo se consolida, ele muda”, definiu Kodja. “A Geração Y é rápida, impaciente e necessita de informação em cápsulas”, acrescenta.




Por isso, as inovações precisam fazer parte do dia a dia de quem quer manter contato com essa importante fatia do mercado brasileiro.




“E agora está chegando a Geração Z, que vem de ‘zapear’. Se o Y já viveu a ascensão da tecnologia como componente fundamental da sua vida, o ‘Z’ já nasceu com o dedinho no mouse”.

Fonte: HSM online

Nenhum comentário:

Postar um comentário