domingo, 28 de fevereiro de 2010

LOGOTIPO, PORQUE USAR?

A construção de um logotipo é sem dúvida uma das mais importantes e valorizadas áreas do design e da publicidade. O desenvolvimento de uma boa imagem que represente a marca de uma organização ou empresa pode se tornar um elemento poderoso para atrair clientes e com o tempo se torna um ativo intangível, ou seja, rentável.

Até onde a força de uma marca pode chegar?

Podemos apresentar alguns exemplos radicais, em abril de 2009, a marca Google foi avaliada em US$ 86 bilhões, de acordo com uma análise feita pela consultoria americana Millward Brown, especialista em análise e de marcas. Outra marca bilionária é a Coca-cola – que durante muito tempo foi considerada a marca mais valiosa do mundo, e que, segundo a mesma pesquisa, hoje está em quarto lugar, valendo US$ 58,2 bilhões. Entre as dez mais também se encontram: a General Electric, com valor de US$ 71,4 bilhões; a Microsoft, com valor de marca na casa dos US$ 70 bilhões; a China Mobile, com US$ 57,2 bilhões, A gigante IBM, com US$ 55,3 bilhões, Apple, com 55,2 bilhões, McDonald’s, com US$ 49,5 bilhões, Nokia, com 44 bilhões e Marlboro, com US$ 37,3 bilhões.
Em muitos destes casos o valor apenas da marca vale mais que os ativos fixos das empresas.
De forma geral, a precificação do valor da marca se deve a imagem que estas companhias projetam no imaginário das pessoas, como modernidade e vanguarda. Por muitas vezes, esta projeção é tamanha que chega a superar o próprio produto ou serviço que ela representa.

E como começar a criação do conceito?

O começo é a base do projeto, portanto, é necessário coletar muita informação.
Um briefing bem detalhado, coletando informações sobre a nova marca, o que ela representará, quem são os seus concorrentes, a qual público ela se comunicará, é essencial. Depois é a fase de brainstorm – onde todas as idéias que se correlacionam com a proposta da marca são colocadas num papel. No início, não importa o quanto a ideia pareça boba, escreva mesmo assim, procure informações, imagens e palavras na internet, ou seja, pesquise muito, pois você e o dono da marca dependem de uma boa base para chegar a um bom resultado.
Nada como delinear, uma grande parte de profissionais gostam de ir direto para o computador e o poder do esboço é muitas vezes subestimado. Antes de usar as ferramentas de acabamento, utilize o esboço no papel ou se você utiliza um tablet, rabisque na tela. Você pode rapidamente esboçar vários conceitos e criar variações para ver o que funciona e o que não funciona numa questão de minutos.  Evite o Photoshop, a não ser em casos muito específicos, construa o logotipo como um vetor – em programas de ilustração como Ilustrator ou o Corel Draw – desta forma, a imagem poderá ser escalonizada sem perda de qualidade.

Lembre que hoje, menos é mais, você já parou para imaginar que logotipos chegam a ser utilizados na medida de 16×16 pixels? Os “favicons” representam a imagem do logotipo de uma empresa nas abas das páginas da internet, portanto, logotipos criativos e simples possuem leitura mais adequada quando expostos em tamanhos pequenos. Teste o logotipo em diferentes tamanhos, teste fisicamente o logotipo em impressões de vários tamanhos. Também vale olhar para o logotipo de diferentes distâncias para ver como a leitura se comporta. Cuide das cores, pense sempre que a marca, além de colorida, terá que ser impressa em uma ou duas cores e em suportes diferentes como: papel, tecido, brindes, portanto, preveja como as retículas se comportarão em cada caso e já determine a arte final para cada caso.
Para exemplificar isso, imagine o logotipo do Discovery Channel, lembrou? Imagine o planeta Terra que é todo colorido quando aparece na TV como ficaria impresso no corpo de uma caneta. Certamente os designers que trabalham com a marca já se preveniram e criaram uma variação do logotipo com cores chapadas.
Deixe tudo documentado para o seu cliente. Seu cliente precisa ter um pequeno manual da marca. Nem todos os clientes estão dispostos a investir em um manual da marca detalhado, mas informações sobre as cores de escala e pantones, assim como os arquivos das artes finais da marca e as suas variações para as diferentes aplicações como no caso da marca em uma cor tem que ser arquivadas digitalmente e entregues ao cliente. Um bom lugar para se servir de exemplo e começar sua pesquisa é o site:  http://logotypes.designer.am/srch/search.php

Ótima semaninha...
Beijocas, Mi

Um comentário:

  1. Oi Mi... Muito bacana seu post. Ainda não tinha parado para pensar nos favicons mas já vou utilizar as dicas na logo do meu estúdio que estou desenvolvendo. Outro site legal de logomarcas é o http://freelogotypes.info/ ... Precisa cadastrar, mas é limpo.

    Bjo,
    Leo

    ResponderExcluir